Último número

Volumen 69 (06)
Ver número actual
Ver todos

Números anteriores

Vol. 69 (05)
Vol. 69 (04)
Vol. 69 (03)
Vol. 69 (02)

Otros números

Suplementos Congresos English Versions

Sobre la Revista

Comité Científico Viguera Editores Proceso de revisión Sociedades oficiales e indexación

Información para autores

Enviar manuscrito Normas de publicación Consultar estado de artículo

Información para revisores

Recomendaciones para revisor
Factor Impacto 20180,485

Porcentaje de rechazo en 2017: 66%

50% de artículos reciben respuesta definitiva en 12 días

Media de tiempo a respuesta definitiva: 38 días

Web Médica Acreditada. Ver más información

Revista de Neurología (24 números al año) fomenta y difunde el conocimiento generado en lengua española sobre neurociencia, tanto clínica como experimental.

Másteres online

Master in Neuroimmunology

Máster en Neurología Tropical y Enfermedades Infecciosas

Máster en Epilepsia

Máster en Trastornos del Espectro Autista

Máster en Trastornos del Movimiento

Máster en Psicobiología y Neurociencia Cognitiva

Máster en Sueño: Fisiología y Medicina

Máster en Neuropsicología de las Altas Capacidades Intelectuales

Máster en Neurociencia Experimental y Clínica

Universidades

iNeurocampus Formación online

Listado de Másteres impartidos por Viguera Editores S.L.U. a través del portal www.ineurocampus.com en colaboración con distintas universidades del país

Noticias del día

Encuentran un mecanismo clave en el envejecimiento prematuro de las células madre Fecha 20/09/2019 ● Lecturas 15
Ver todas las noticias

 

Descrito un efecto proinflamatorio de los endocannabinoides en el cerebelo Fecha 20/09/2019 ● Lecturas 14

Entrevistas

Entrevista con el profesor Luis de Lecea con ocasión de la reunión de la Asociación Española de Narcolepsia para pacientes y médicos (Día Europeo de la Narcolepsia. Madrid, 2019)

12/03/2019 ● Lecturas 7.125
Ver todas las entrevistas

Listado de noticias de interés relacionadas con las neurociencias

Septiembre 21 2019

48th Meeting of the European Brain Behavior Society (EBBS)

Praga, República Checa

Septiembre 21 2019

IBRO 2019

Daegu, Corea

Septiembre 22 2019

III Congreso Internacional para la Investigación de la Gliomatosis Cerebri Infantil

Barcelona, España

Septiembre 22 2019

23rd International Congress of the International Parkinson and Movement Disorder Society (MDS)

Niza, Francia

Septiembre 24 2019

XXXI Congreso de la Sociedad Ibero Latinoamericana de Neurorradiología Diagnóstica y Terapéutica ...

Porto, Portugal

Septiembre 24 2019

European Association of Neurosurgical Societies (EANS) 2019

Dublin, Irlanda

Ver Agenda

Listado de eventos del sector y fechas de interés relacionadas con los Másteres de www.ineurocampus.com

Listado de palabras clave de la página web. Pulse en una categoría para acceder a la búsqueda de todo el contenido web (artículos, noticias, autores, entrevistas etc.) relacionado con dicha categoría

Sobre Revista de Neurología

Información Comité Científico Proceso de revisión Sociedades e indexación Contacto

¿Cómo publicar con nosotros?

Enviar manuscrito Normas para autores Información para revisores

Sobre Viguera Editores

Información

Sobre iNeurocampus

Información

Redes sociales

Facebook Twitter
Web Médica Acreditada. Ver más información

Neurologia.com es una comunidad de conocimiento alrededor de la neurología en habla hispana, compuesta por millones de profesionales, desde estudiantes a instituciones médicas o académicas. Esta comunidad se dota de diferentes herramientas de interrelación y difusión del conocimiento en neurociencia

Entrevista

Português English Castellano

Entrevista com a Dra. Rosa Peraita Adrados, organizadora da 4ª Jornada Europeia de Narcolepsia 2013

18/03/2013 ● Lecturas 37.644


Dra. Rosa Peraita-Adrados Neurofisiologista clínica e responsável da Unidade de Sono e Epilepsia. Serviço de Neurofisiologia Clínica, Hospital Geral Universitário Gregório Marañón, Madrid. Cofundadora, com o Prof. Antonio Vela-Bueno, da Associação Ibérica de Patologia do Sono
Pergunta. Pode explicar-nos o seu interesse no campo da narcolepsia?
Resposta. Tive a ocasião de ver os primeiros doentes narcolépticos nos anos 70 quando era research fellow na Sleep Disorders Clinic & Laboratory da Universidade de Stanford com o Prof. Dement, e participei no First International Symposium on Narcolepsy, que se realizou em La Grande Motte (França) em Julho de 1975. A partir de então, o contacto com o Prof. M. Billiard foi decisivo na minha orientação, uma vez que, nos anos 90, este liderou o primeiro grupo europeu para estudar a genética da narcolepsia e convidou-me a participar no referido grupo. A partir de então, criei uma base de dados com doentes narcolépticos de distintas procedências no hospital e iniciei a minha colaboração com José L. Vivario, imunologista, e com M. Tafti, geneticista, da Universidade de Lausana. Em 1998, por motivo do XIV Congresso da ESRS em Madrid, organizei, com Javier Espinar, uma reunião de doentes narcolépticos de toda a Europa e, um ano mais tarde, fundou-se em Madrid a Associação Espanhola de Narcolepsia (AEN).

Em 2008 integrei-me na European Narcolepsy Network (EU-NN), presidida pelo Dr. Gert Jan Lammers, e fui eleita pelo conselho para organizar a 4ª Jornada Europeia de Narcolepsia em Madrid nos próximos dias 17-17 de Março.

P. Pode resumir os principais objectivos da EU-NN nos últimos cinco anos?
R. A network foi decisiva para o conhecimento e o intercâmbio dos especialistas e o desenvolvimento de projectos de trabalho que frutificaram em publicações interessantes neste campo e naquelas em que o nosso hospital participou: Lammers GJ, et al. Sodium oxybate is an effective and safe treatment for narcolepsy. Sleep Med 2010; 11: 105-6; Hor H, et al. Genome-wide association study identifies new HLA class II haplotypes strongly protective against narcolepsy. Nat Genet 2010; 420: 786-9; Maurovich Horvat E, et al. Narcolepsy and pregnancy: a retrospective European evaluation of 249 pregnancies (en prensa, JSR); Luca G, et al. Clinical, Polysomnographic, and Genome-Wide Association Analyses of Narcolepsy with Cataplexy: A European Narcolepsy Network Study (en prensa, JSR), entre outras.

P. O que considera que tenha sido o maior contributo da Unidade do Sono de que a Senhora é responsável no estudo da narcolepsia?
R. Sem dúvida, o estudo da família madrilena com 12 casos diagnosticados de narcolepsia-cataplexia. Para identificar a mutação na família, realizou-se uma análise de ligação mediante sequenciação do exoma em três membros da família com diagnóstico de narcolepsia e cataplexia. Mapeou-se com êxito o locus do cromossoma candidato na região 6p22.1 (LOD score ¼ 3,85). A sequenciação do exoma identificou uma mutação pontual no segundo exão da MOG dentro da região de ligação. A mutação A c.398C>G estava presente em todos os membros da família afectados e ausente nos membros da família que não sofriam da doença, assim como também não existia em 775 sujeitos de controlo, não relacionados. Quando se introduziu a forma mutada da MOG n os oligodendrócitos de ratos, observou-se que a proteína MOG não se distribuía adequadamente no interior das células, o que sugere que a forma mutada da MOG não deve funcionar adequadamente. Embora seja necessário um maior número de estudos para identificar o nexo entre a mielina, os oligodendrócitos e a narcolepsia, o achado é significativamente relevante, uma vez que, recentemente, relacionou-se a MOG com várias doenças neuropsiquiátricas. Estudos de expressão genética na depressão major, a doença bipolar, a esquizofrenia e a esclerose múltipla indicam que existe uma diminuição da expressão de genes nos oligodendrócitos, o que reforça a hipótese de que alterações nos oligodendrócitos poderiam causar doenças do neurodesenvolvimento. A identificação da mutação na MOG, até agora exclusiva da nossa família, não só contribui com uma maior compreensão da patogénese da narcolepsia, como também evidencia o papel da mielina e dos oligodendrócitos na susceptibilidade de sofrer outras doenças neuropsiquiátricas complexas. (Hor H, Bartesaghi L, Kutalik Z, Vicário JL, de Andrés C, Pfister C, et al. A missense mutation in myelinoligodendrocyte glycoprotein as a cause of familial narcolepsy with cataplexy. AmJ Hum Genet 2011; 89: 474-9.)

P. Que temas se irão abordar na 4ª Jornada Europeia de Narcolepsia em Madrid?
R. Serão tratados temas de grande actualidade, como a fisiopatologia, a genética e os aspectos metabólicos da doença, muito estudados nos últimos anos; a narcolepsia infantil, na qual se definiram os aspectos semiológicos da cataplexia, o diagnóstico diferencial e as fronteiras com outras hipersónias de origem central, o tratamento farmacológico e não farmacológico, os custos socioeconómicos da doença, etc. Além disso, serão apresentadas as bases de dados, tanto prospectiva como retrospectiva, da EU-NN que, com o esforço de muitos, estão a contribuir a publicações fundamentais como referi anteriormente.

A reunião do Dia do Doente com representantes de associações de muitos países europeus, tem nesta reunião de Madrid um objectivo chave, como a criação de uma Federação Europeia de associações de narcolépticos, com as vantagens que isso pressupõe na hora de implementar uma série de medidas, desde terapêuticas e laborais, focar na aprendizagem da criança narcoléptica na escola e melhorar a sua interacção com o meio social familiar, além da difusão do conhecimento da doença.

P. Quais são os contributos do seu grupo a esta jornada científica?
R. Com os meus colegas do Hospital Clínico de São Carlos, Francisco-Javier Martinez-Orozco e Isabel Villalibre, focámo-nos no estudo da associação da narcolepsia-cataplexia com outras doenças auto-imunes tanto do sistema nervoso central como sistémicas e, por dispormos de uma ampla série de doentes, chegámos a conclusões, embora preliminares, interessantes, que queremos propor como projecto de estudo a uma escala europeia. Com Rafael Del Rio do Hospital de La Paz, estudámos os factores stressantes do meio ambiente e as doenças infecciosas, relacionados com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença. Os estudos epidemiológicos escasseiam na narcolepsia e pensamos que alguns dos nossos achados poderiam orientas futuras investigações neste campo.
Prof. Juan-Vicente Sanchez-Andrés
Director asociado de Revista de Neurología
Departamento médico, Viguera eds.
Sueño
Le puede interesar
Artículo en Castellano
Disfunción neurocognitiva en el síndrome de estado de mal eléctrico durante el sueño lento: ¿podemos modificar la evolu... J.J. García-Peñas Fecha de publicación 15/02/2010 ● Descargas 1621
Artículo en Castellano
Trastornos paroxísticos y síntomas episódicos no epilépticos en relación con el sueño M. Rufo-Campos Fecha de publicación 01/01/1999 ● Descargas 621